Fone: (48) 3223-4647 Email: apoio@apoiocomunicacao.com.br

Dicas para economizar combustível

Publicada por em 09/11/2017

O técnico em mecânica e sócio da Revisacar Soluções Automotivas, Fernando Azevedo, ensina pequenos truques que podem contribuir para uma maior eficiência do automóvel.

Com a alta no preço dos combustíveis, dicas para aumentar a eficiência e autonomia automotiva são sempre bem-vindas. As principais indicações para um consumo eficiente do automóvel é  dirigir de maneira correta, manutenção em dia e tomar cuidado ao escolher o combustível na hora de abastecer. Além disso, praticas simples como calibrar os pneus, podem fazer muita diferença no consumo. Confira algumas dicas do técnico em mecânica e sócio da Revisacar Soluções Automotivas, Fernando Azevedo:

 

Calibrar os pneus: pneus murchos ou com a calibragem errada influenciam diretamente no consumo. A calibragem deve ser feita no máximo a cada 15 dias, seguindo as orientações das montadoras para pressão, que é diferente para traseira e dianteira e se o veículo está carregado ou não. Os pneus podem ser responsáveis por até 20% do consumo.

 

Peso em excesso: um  carro mais pesado precisa de maior aceleração para movimentar-se. Quando mais carregado, mais o veículo consome. Por isso, é fundamental observar no manual do proprietário o peso máximo recomendado pelas montadoras. Estudos mostram que 40 quilos de excesso de peso aumentam o consumo em até 2%. Quando for carregar um peso a mais no carro, o indicado é calibrar mais os pneus, mas o importante é depois lembrar de colocar a calibragem certa, pois senão também ira prejudicar o veículo. Além disso, com a calibragem desregulada, a aderência ao piso diminui, podendo causar acidentes.

 

Marcha: pode parecer um detalhe pequeno, mas prestar atenção na hora de trocar a marcha faz muita diferença no consumo. Todos os veículos trazem no manual do proprietário a velocidade certa para a mudança, que deve levar em conta o torque do carro. O uso do câmbio de ser suave, sem forçar o motor. Além disso, uma mania que muitos motoristas possuem é de dirigir com a mão apoiada na marcha, o que é muito prejudicial, além de gastar mais, gera problemas no câmbio.

 

Aceleradas: o ato de acelerar é o maior gatilho de gasto excessivo de combustível. Evite aceleradas bruscas e desnecessárias. Isso afetará muito a média de combustível. Também não há necessidade de ficar aquecendo o carro pela manhã antes de sair da garagem. Nos modelos com injeção esse aquecimento é feito automaticamente pelo sistema.

 

Velas: as velas estão entre os itens de manutenção que mais influenciam no consumo dos carros.  Elas precisam ser trocadas exatamente com a quilometragem recomendada pela montadora, que varia de modelo para modelo. A função das velas é gerar energia na câmara de combustão para iniciar a queima da mistura ar/combustível. Se ela está ruim, essa queima fica irregular, o que reflete diretamente no aumento do combustível injetado. Por isso é muito importante fazer as revisões dentro do prazo.

 

Vidros abertos X Ar condicionado: dirigir com os vidros abertos interfere na aerodinâmica do carro e no consumo de combustível, especialmente a mais de 80 km/h. Hoje em dia também os carros já estão projetados com uma eficiência maior para o aparelho de ar condicionado.

 

Filtros: os filtros de ar e combustível precisam ser trocados nas datas previstas pelas montadoras, uma vez que em caso de entupimento causam interferência na mistura de ar e combustível na câmara de combustão, o que faz o veículo gastar mais, já que a mistura fica irregular.

 

Ponto morto: além de ser um mito, é prejudicial ao veículo e a segurança dos ocupantes. O veículo deve ficar sempre engrenado. Assim, gasta menos combustível do que se estiver em ponto motor. A injeção eletrônica identifica que não é preciso aceleração e corta o combustível.

 

Alinhamento do carro: o alinhamento das rodas é fundamental para aerodinâmica do carro. Se o veículo está fora de geometria, as rodas serão arrastadas, em vez de somente girar. Automóvel alinhado, sim, economiza combustível.

 

Revisões: realizando as revisões dentro do período de tempo e quilometragem especificados, o condutor tem uma segurança maior quanto ao correto funcionamento de seu veículo, bem como com a autonomia do carro. Itens revisados geram melhor desempenho e evitam gastos desnecessários.

 

Fluídos: evitar o abastecimento do veículo com fluídos que prometem aumentar a rentabilidade do produto, uma vez que podem causar problemas nos bicos, bem como gerar uma pane no carro.

 

Tipo de combustível: o ideal é utilizar sempre o mesmo tipo de combustível, mas, se houver a troca, é necessário rodar no mínimo 10 km para que o carro se adeque a esse novo combustível, e neste intervalo, no delay, há um gasto maior.

 

São dicas simples mas que, com a elevação dos preços dos combustíveis, podem representar em uma boa economia para o condutor.

 


  Voltar para notícias